segunda-feira, 25 de junho de 2012

São João 2012 - Estávamos em Campina Grande?






Casa de Babá e Célia: fogueira e mesa farta.



Este ano, mais uma vez, passamos o São João em Campina Grande, mais precisamente na casa de Babá e Célia. Não queremos nem saber o que se passa na Capitá do Forró Paraibana, embora percebamos que os artistas regionais que ralam o ano inteiro sem ter acesso à divulgação de suas músicas nos meios de comunicação, nesta época são valorizados, diferentemente do que tem feito a Prefeitura da Cidade do Recife onde, de Carnaval a São João, Chimbinha e Joelma (Banda Calipso), ditam o quanto, ondem e quando farão seus shows de péssimo gosto.

Na casa de Babá e Célia, além do aconchego e da presença dos sobrinhos (incluindo Kênio, noivo de Duda Costa), revivemos o São João que papai e mamãe nos fizeram conhecer.

Fogueira às 6:00 h. da tarde para que as crianças menores desfrutem o bastante, fogos de artifício apenas os que realmente não trazem nenhum perigo (embora eu, particularmente, ache um desperdício), uma mesa farta das mais tradicionais e deliciosas comidas juninas. Este ano elegi como preferida a mistura do milho verde cozido, com um delicioso queijo de manteiga saboreados juntos. Enquanto isso, o forró na maior altura, com Irah Caldeira, Maciel Melo Jackson do Pandeiro e Flávio José, e o arrastapé de dos anfitriões que deixamos registrados em filme HD.

No dia seguinte foi a vez do tradicional churrasco com picanha argentina, pernil desossado de cordeiro uruguaio e cupim de boi brasileiro mesmo, já que a técnica que desenvolvi e ensinei no São João do ano passado aqui no "Bastidores" deixa qualquer cupim super macio e saboroso. Fechamos o dia com o sunomono especial com kanikama e salmão fresco que preparo todas as vezes para agradar o dono da casa.

Saímos hoje às 4:30 h. sob forte temporal que nos acompanhou até Abreu e Lima, quando deu lugar a um engarrafamento que nos tomou a mesma hora e meia da ida.

Mais uma vez a saudade dos cuidados de Babá, da preocupação de Célia para que tudo estivesse nos trinques, e da algazarra da meninada querida.



Nenhum comentário:

Postar um comentário