sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Férias na Casa de Praia de Babá e Célia – II - Uma Noitada de Sushis

.
.
.
.
.
.
Com a linda e inteligentíssima sobrinha Duda Vasconcelos, para quem fiz os sushis, sunomono e missoshiru.
.



Vou ainda ficar devendo a receita do Pão Gelado. Nadja foi passar a tarde com a mãe e as irmãs que moram aqui em João Pessoa, e essa receita é dela.

Ontem, a procura por peixe fresco ideal para as comidinhas japonesas foi intensa, mas frutífera. Só encontramos em Cabedelo, cidade portuária da Região Metropolitana de João Pessoa.

Indicaram-me um peixeiro de apelido “Olho de Gato”, que não foi difícil de localizar no Mercado Público de lá. Ali pude comprar “toro” (parte mais gorda da barriga de alguns peixes) de Meca, Agulhão Branco e Atum, que se juntaram ao Salmão que já tínhamos. Deixei Kênio - noivo da minha sobrinha Duda – ajudando-a a fatiar os pepinos japoneses para o Sunomono, e fui com Babá a um restaurante japonês de Tambaú adquirir um Tofu para a Missoshiru.

Preparar comidinhas japonesas quando não se faz isso todos os dias, dá uma mão de obra danada.

Embora tenha sempre à mão todos os apetrechos e grande parte dos produtos, os que precisam ser adquiridos frescos não são fáceis de encontrar.

Mas, deu tudo certo. Por volta das oito da noite servimos a Missoshiru em tigelinhas japonesas, com cebolinhas hidropônicas.
.
Francisco Vasconcelos e seu pai Luiz Carlos... Matando saudades.
.

Ficamos aguardando Luiz Carlos, que só apareceu pelas 22:00 h. Antes dele chegar já havíamos devorado metade do Sunomono, que enchia uma grande travessa.

Após as fotos de praxe, abraços e muitos sorrisos de alegria, pudemos avançar sobre as bandejas de sushis.

Com Luiz Carlos vieram seu filho Francisco Vasconcelos, um irmão dele e mais um amigo. Só saíram por volta das duas da matina, pois a vida de ator não é fácil, principalmente quando se está também montando um espetáculo sobre Portinari (em São Paulo) e dirigindo outro (Retábulo, com o Grupo Piollim.

Acordei às 5:00 h. para a caminhada, e depois voltei a Cabedelo para completar os ingredientes da Paella Valenciana que trouxemos de Recife. Comprei camarões grandes e pimentões vermelhos para a decoração.

Babá e Célia têm uma paellera de bom tamanho, mas acabei por optar pela minha velha frigideira, pois havia muitos candidatos para o almoço.

Trouxe açafrão espanhol, o que deu uma cor maravilhosa ao prato.


Amanhã será o dia da Paella Valenciana.

.
.
.
.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário